Empresas buscam auxilio para implementar programas de compliance – App IComply surge como opção, destaca Bruno Fagali

Diante dos escândalos de corrupção no Brasil nos últimos tempos, as empresas – para preservar a boa imagem – atualmente, têm buscado ferramentas capazes de auxilia-las com o cumprimento das normas legais e regulamentares. Os chamados programas de compliance estão em alta no campo empresarial, salienta o advogado Bruno Fagali – que também é membro da Fagali Advocacia. Ele reporta, ainda, que foi dentro desse contexto que o advogado Fábio Moreno e o engenheiro André Cepukas desenvolveram uma ideia – o aplicativo IComply.

A ferramenta busca o desenvolvimento moral e ético do funcionário, auxiliando, desta forma, os empresários a regularizarem as suas empresas e evitarem possíveis atos de corrupção. Fábio Moreno e André Cepukas explicaram que o objetivo do IComply é disseminar uma Cultura de Integridade. Cultura essa que vem se propagando no Brasil.

Bruno Fagali sobressai que, de acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria Deloitte com empresas brasileiras, apenas cerca de 30% delas possuíam programa de integridade em 2013. Três anos depois, entretanto, esse percentual alcançou os 65%.

“Quando executivos começaram a ser presos, quando os empresários começaram a ver seus pares atrás das grades, vimos aumentar a procura pela implantação dessas medidas”, afirmou a sócia-diretora da Protiviti Brasil – consultoria especializada em gestão de riscos e auditoria – Heloisa Macari.

Umas das funções do IComply, por exemplo, é, justamente, a veiculação de documentos e comunicados institucionais, além de treinamentos, questionários, vídeos e entrevistas sobre compliance para todos os colaboradores da empresa e parceiros da companhia – como é o caso de terceirizados e fornecedores, acentua Bruno Fagali. Existe também disponível na plataforma um canal de denúncia anônimo, além de grupos de discussões.

A intenção do aplicativo é democratizar o acesso ao programa de compliance – isso por meio da produção de provas positivas para a empresa a partir dos dados de acesso gerados pelo App, como por exemplo, tempo de uso, participação em treinamento, além de respostas aos questionários.

O advogado Bruno Fagali enfatiza, ainda, que as funcionalidades do IComply estão em harmonia com alguns dos pontos que têm sido levantados como fundamentais para se implementar, de maneira eficiente, um programa de integridade nas empresas.

Há cerca de seis meses – no dia 31 de maio – o site Pequenas Empresas Grandes Negócios, por exemplo, publicou, um artigo falando a respeito de como implementar um programa de compliance em pequenas e médias companhias. O comprometimento da alta direção; a implementação de um código de ética simples; a comunicação com todos os públicos, de forma transparente efetiva; e a análise de riscos e tratamento dos desvios foram alguns dos elementos levantados pela matéria, pontua o membro da Fagali Advocacia.

Bruno Fagali ainda distingue o que o artigo conclui – “A transparência, a ética e o compliance são um caminho sem volta, influenciando cada vez mais a reputação da empresa. A reputação, por sua vez, é a base para a confiança. E esta é um dos pilares da competitividade e sobrevivência empresarial”, escreveu o site Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Comments are closed.